Ayutthaya – Como chegar?

Rica em história, Ayutthaya é uma excelente opção para um passeio de um dia saindo de Bangcoc. Havia muito tempo que eu queria conhecer este lugar, por causa de suas belezas e toda sua história.

A província fica a cerca de 80km da capital Bangcoc, e existem várias maneiras de se chegar lá. Vou explicar algumas delas aqui, e depois contar a que eu escolhi.

Táxi / Uber

Para quem estiver em um grupo pequeno esta pode ser uma excelente opção, já que tanto o horário de ida quanto o de volta podem ser escolhidos de acordo com a vontade dos participantes. Só fique atento pois a oferta de carros para a volta a Bangcoc pode ser escassa, então é interessante combinar com o motorista um horário e local para voltar.

Em uma simulação no portal da Uber, a viagem (ida) num UberX ficaria em torno de 800 baht.

Trem

É a opção mais barata. Basta pegar o trem na estação em Bangcoc, utilizando a linha northern (norte) ou northeastern (nordeste). A viagem dura entre 01:30 a 02:00 hs, dependendo do trem. Os preços variam de 15 (3ª classe) a 66 baht (1ª classe). Veja o mapa das linhas de trem da Tailândia.

Van

Essa pode ser uma opção interessante para grupos ligeiramente maiores, ou até mesmo viajantes solo. O valor é intermediário (entre o Uber e o trem – cerca de 90 baht cada trecho) e a viagem dura cerca de 2 horas, saindo do Terminal Morchit.

Van – passeio fechado com guia

Essa foi a opção que escolhi. Por haver chegado bem tarde e cansado a Bangcoc, e ter apenas um dia para fazer esse passeio, antes de seguir viagem para Koh Samui, procurei uma agência de turismo na Rambuttri road (não lembro o nome, mas não se preocupe: tanto na Rambuttri quanto na Khao San há inúmeras delas) e fechei o passeio por 450 baht (ida e volta, saindo do hotel Rambuttri Village Plaza, com direito a almoço e guia em inglês. O preço normal era 500 baht mas dei uma chorada). Existe a opção de guia em português, mas aí o preço sobe consideravelmente (alguns conhecidos pagaram 50 USD).

IMG_7801

Indo para Ayutthaya

Às 07:30 eu já estava dentro da van, juntamente com mais um casal do mesmo hotel. A van ainda passou por outros lugares antes de pegar a estrada para Ayu. No meio do caminho paramos num posto para usar toaletes e comprar algo numa conveniência. Recomendo fortemente que você leve água consigo, porque lá é muito quente.

Veja também o que fazer em Bangkok

Chegamos no primeiro templo por volta das 10:00 hs, quando nosso guia começou a contar a histórias e várias curiosidades, inclusive mostrando fotos. Ele era um senhor muito simpático e com sorriso sempre aberto, mesmo que tivesse poucos dentes na boca. Seu inglês, entretanto, era sofrível e logo eu percebi que ganharia muito mais aproveitando o tempo da explicação para desbravar o local e tirar fotos. Fiz isso em todos os templos, mesmo perdendo boa parte da explicação, que eu acabei olhando na internet depois.

Wat Yai Chai Mongkol

Pelos relatos que li de outras pessoas, este é normalmente o primeiro templo visitado. É muito bem conservado e ainda tem um templo onde você pode tirar a sorte e ler uma mensagem do Buda.DCIM100GOPROIMG_1726IMG_7815

Não percebi muitas restrições quanto a vestimentas, para as mulheres, como acontece nos templos em Bangkok. Mas fique atento: para entrar em alguns locais é necessário tirar os sapatos. IMG_1746

Wat Mahathat

Este templo é onde tem a famosa cabeça do Buda entre as raizes de uma árvore. Vale enfatizar que para tirar foto com a cabeça do Buda você deve se agachar ou sentar no chão, em sinal de respeito, pois não se deve estar numa posição superior ao Buda.

DCIM100GOPRO

IMG_1758

Wat Phra Si Sanphet

Este foi o templo mais bonito que eu visitei. Fique encantado com a quantidade de ruínas. Mas prepare-se para andar muito pois ele é enorme! E, por favor, não façam como eu, que me perdi kkkk.

IMG_1817

DCIM100GOPRODCIM101GOPRO

Wat Lokayasutharam

Quem já jogou Street Fighter vai lembrar muito desse cenário. Este Buda deitado é muito icônico, e pode estar coberto com um tecido dourado ou não.IMG_1775.jpg

Almoço

Um almoço “típico” estava incluído no passeio. O referido almoço é servido às margens de um rio, no que parece ser um quintal de uma casa. A comida é realmente típica tailandesa (não lembro exatamente o nome), e até saborosa. Porém, a higiene do estabelecimento era um tanto quanto questionável. Então, se você tiver estômago sensível, melhor levar algum lanche consigo, já que não há muito comércio na região dos templos. Ah, as bebidas eram pagas à parte (tinha refrigerante, cerveja e água com gás).

IMG_7855

Wat Phi khao Thong

O último templo visitado era bem imponente, mas haja perna pra subir tantas escadas! O visual lá de cima, porém, compensa qualquer esforço!

DCIM101GOPRODCIM101GOPROIMG_1780IMG_1789

Por volta das 14:30 hs iniciamos a volta para Bangcoc. Quase todos os ocupantes da van estavam dormindo.

Não sei se é o padrão, mas vale informar que a minha van não saiu deixando as pessoas nos hotéis. Ela parou em 3 pontos estratégicos espalhados pela cidade e dali cada um tinha que se virar. Eu fiquei perto da Khao San Road, andei uns 10 minutinhos e fui encontrar meus amigos num restaurante na Rambuttri Road, para uma cerveja e ouvir as histórias dele sobre como tinha sido o dia passeando pelos templos em Bangcoc (o relato você pode encontrar aqui).

Conclusão:

  • Há várias formas de conhecer Ayutthaya. Veja a que mais lhe convém, mas não deixe de conhecer esse cantinho;
  • O pôr do sol por lá deve ser maravilhoso (já vi muitas fotos), mas para contemplá-lo você vai precisar de transporte independente pra voltar. Os passeios fechados saem mais cedo;
  • Lá em Ayu tem a possibilidade de contratar um tuk tuk ou alugar uma bicicleta para conhecer os templos. Se for de bike, esteja ciente de que eles ficam a uma certa distância uns dos outros e que lá faz muito calor;
  • Há uma pequena taxa para entrar nos templos (entre 20 a 50 baht, variando entre eles). Eu não paguei nada, pois estava incluso no pacote. Mas é sempre bom confirmar antes;
  • Fique sempre atento ao seu grupo para não se perder deles. Esteja atento também ao ponto de encontro da van, para não ser deixado para trás.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s